31 de março de 2014

O Melhor Ouvinte



Desde a minha meninice que oiço dizer que os cães compreendem o que sentimos (muito melhor do que outras pessoas). 

Com o passar dos anos, fui-me apercebendo que a sabedoria popular acertara mais uma vez. Ou isso, ou o meu cão estava envolvido numa intrincada conspiração para dar razão à teoria de que os cães nos conhecem como ninguém (incluindo nós mesmos).

Sim, em muitos e bons anos de convivência, sem voluntárias confissões da minha parte, o meu cão deu provas de uma compreensão profunda sobre mim.

Agora sei porquê. Finalmente! Graças a investigadores húngaros do centro de investigação etnológico MTA-ELTE e pela Universidade Eotvos Loránd. Segundo o estudo feito por eles, os cérebros dos cães e dos humanos são muito parecidos.

Quando um cão ouve a voz humana, são activadas certas áreas do cérebro, semelhantes às dos humanos. Este estudo publicado na revista científica Current Biology conclui que "em ambas as espécies, é ativada uma região próxima do lobo temporal, onde se observa uma reação mais intensa sempre que é ouvido um som considerado 'feliz'". 

Um grupo de cães e de humanos foram testados numa ressonância magnética enquanto eram submetidos a sons humanos – felizes e tristes. O estudo concluiu que os nossos cérebros e os dos nossos melhores amigos são curiosamente parecidos. 

"As nossas descobertas sugerem que [os cães e os humanos] utilizam também mecanismos cerebrais semelhantes para processar informações sociais, o que pode apoiar o sucesso da comunicação vocal entre as duas espécies", conta o coordenador do estudo, Attila Andics.

Claro que os cães têm respostas mais fortes no que toca aos seus pares. Os humanos, também! Mas os cães reagem mais a sons não vocais do que os humanos. 

Esta é uma nova porta que se abre para os investigadores perceberem como é que o nosso melhor amigo interage connosco. 

Uma coisa é certa: com uns ouvidos mais sensíveis e um nariz (infinitamente) mais sensível do que o dos humanos, não é de admirar que os nossos amigos nos conheçam como nenhum amigo humano alguma vez será capaz!

26 de março de 2014

Twain's best quotes


Estas são as 25 melhores citações de Mark Twain, de acordo com o site Flavorwire. Eu não sei porquê... mas não consigo resistir a partilhar. O génio deste homem merece ser partilhado, não é? Aqui têm.


“Reader, suppose you were an idiot. And suppose you were a member of Congress. But I repeat myself.”

“In the first place God made idiots. This was for practice. Then he made school boards.” — Following the Equator

“The political and commercial morals of the United States are not merely food for laughter, they are an entire banquet.” — Mark Twain in Eruption

“I am quite sure now that often, very often, in matters concerning religion and politics a man’s reasoning powers are not above the monkey’s.” — Mark Twain in Eruption

“It is just like man’s vanity and impertinence to call an animal dumb because it is dumb to his dull perceptions.” — What is Man?

“This is the day upon which we are reminded of what we are on the other three hundred and sixty-four.” — On April Fool’s Day,Pudd’nhead Wilson’s Calendar

“Concerning the difference between man and the jackass: some observers hold that there isn’t any. But this wrongs the jackass.” — Notebook (1898)

“Jane Austen? Why I go so far as to say that any library is a good library that does not contain a volume by Jane Austen. Even if it contains no other book.” — Remembered Yesterdays

“It is full of interest. It has noble poetry in it; and some clever fables; and some blood-drenched history; and some good morals; and a wealth of obscenity; and upwards of a thousand lies.” — On the Bible, Letters from the Earth

“There has been only one Christian. They caught him and crucified him — early.” — Notebook (1898)

“I have damaged my intellect trying to imagine why a man should want to invent a repeating clock, and how another man could be found to lust after it and buy it. The man who can guess these riddles is far on the way to guess why the human race was invented–which is another riddle which tires me.” — On cuckoo clocks, Letter to Henry H. Rogers (1894)

“I like criticism, but it must be my way.” — Autobiography of Mark Twain

“Whenever a copyright law is to be made or altered, then the idiots assemble.” — Mark Twain’s Notebook, 1902-1903

“Nothing agrees with me. If I drink coffee, it gives me dyspepsia; if I drink wine, it gives me the gout; if I go to church, it gives me dysentery.” — Letter to Henry H. Rogers (1905)

“Everything human is pathetic. The secret source of humor itself is not joy but sorrow. There is no humor in heaven.” — Following the Equator

“All you need in this life is ignorance and confidence, and then success is sure.” — Notebook (1887)

“I like a good story well told. That is the reason I am sometimes forced to tell them myself.” — Speech (1907)

“What is the difference between a taxidermist and a tax collector? The taxidermist takes only your skin.” — Notebook (1902)

“I thoroughly disapprove of duels. I consider them unwise and I know they are dangerous. Also, sinful. If a man should challenge me, I would take him kindly and forgivingly by the hand and lead him to a quiet retired spot and kill him.” — Autobiography of Mark Twain

“Sanity and happiness are an impossible combination.” — The Mysterious Stranger

“The more I learn about people, the more I like my dog.”

“Fleas can be taught nearly anything that a Congressman can.” — What Is Man?

“All human rules are more or less idiotic, I suppose. It is best so, no doubt. The way it is now, the asylums can hold the sane people, but if we tried to shut up the insane we should run out of building materials.” — Following the Equator

“France has neither winter nor summer nor morals — apart from these drawbacks it is a fine country.” — Mark Twain’s Notebook

“All good things arrive unto them that wait and don’t die in the meantime.”

21 de março de 2014

Start Spreadin' The News...


Fernando Pessoa regressa à 'Big Apple' de 23 a 27 de Março. Intitulada Fernando Pessoa and the Peripheral Modernisms, esta iniciativa pretende "celebrar a vida e obra de Fernando Pessoa", assim o disse a presidente do Arte Institute, Ana Ventura Miranda.

No domingo, no Hotel Gershwin, haverá uma palestra dada pela Professora Isabel Gil sobre a relação de Pessoa com o cinema. Depois, será exibido o filme "Sunrise: A Song of Two Humans".

Na segunda-feira, Isabel Gil estará na Rutgers University para falar sobre o poeta luso.

No último dia (27), Ellen Sapega dará uma palestra na Poets House, em Nova Iorque.

Espero que todos os meus amigos Norte-americanos possam assistir a esta semana Pessoana e que se divirtam muito!

18 de março de 2014

Art demands payment, Charlie Brown!



Charlie Brown fica furioso e demonstra sua raiva ao chutar algumas folhas de papel (com a sua "história fantástica") e que grita a uma Patty surpresa, que não entende o seu mau-humor. O rapaz explica-lhe o que aconteceu e que o fez tão irritado. Patty continua sem entender o motivo para tal incómodo e pergunta quais eram as suas expectativas. Imediatamente, Charlie Brown diz-lhe que queria dinheiro por a sua "história fantástica", ao invés de um elogio. Este é um daqueles momentos raros na vida de Charlie Brown em que ele consegue ser bem-sucedido. Ele está habituado ao fracasso, e - aparentemente - parece incapaz de reconhecer um elogio quando ele recebe um. É a insatisfação eterna, a razão pela qual ele se sente um fracasso, mesmo quando ele é bem sucedido. Mesmo que Charlie Brown não se veja como um artista, ele sente-se magoado com o facto de que a sua proeza artística fica sem recompensa adequada. Nesta tira, Charles Schulz apresenta-nos uma tragédia irónica: muitos e muitos 'A'rtistas vivem toda uma vida privados de fama ou fortuna.

13 de março de 2014

Episódios do Futuro


O florir do encontro casual
Dos que hão sempre de ficar estranhos...

O único olhar sem interesse recebido no acaso
Da estrangeira rápida...

O olhar de interesse da criança trazida pela mão
Da mãe distraída...

As palavras de episódio trocadas
Com o viajante episódico
Na episódica viagem...

Grandes mágoas de todas as coisas serem bocados...
Caminho sem fim...



O FUTURO

Sei que me espera qualquer coisa
Mas não sei que coisa me espera.

Como um quarto escuro
Que eu temo quando creio que nada temo
Mas só o temo, por ele, temo em vão.
Não é uma presença; é um frio e um medo.
O mistério da morte a mim o liga.

Ao [...] fim do meu poema.



–– Álvaro de Campos



4 de março de 2014

The Novelist's Lives

“The pleasures of being a novelist are many. But the greatest by far is the manner in which I live through my characters; experiencing every detail of their story as it unfolds gradually and personally within my own creative psyche. I'm like a cat with untold lives, because each new book is my rebirth.” 

― Richelle E. Goodrich